31/12/2019

em 2019 ...



… não me apetecia nada fazer o balanço de 2019, isto vai ser a ferros, mas talvez seja importante ler daqui a uns anos. Entrei na primeira meia noite de 2019 rodeada de pessoas que gosto muito e ficou uma história para contar, dia 2 de Janeiro já estava de toga vestida o que para mim quase me dá vontade de rir quando achava que nunca seria uma advogada a sério, profissionalmente foi um ano de ambição e garra, mas com frutos colhidos, não ainda os suficiente ou serei eu muito exigente comigo própria, mas sinto que cresci, que cheguei a um patamar que nunca almejei mas que me dá de certa forma algum orgulho e percepção de que muitas vezes os planos inesperados podem ser os melhores, levei os miúdos a ver neve numa viagem de grupo que apertou laços importantes, vi a M. a aprender a ler e a ganhar asas, vi a M. a sofrer as primeiras frustrações e dificuldades e foi para mim difícil gerir o que via, a maternidade foi um desafio, fui tarefeira de rotinas e actividades para que não lhes faltasse nada e sejam felizes, o V. cresceu, cresceu muito, fez-me rir muitas vezes com a sua forma de ser apaixonante, falhei, errei, tive medos, senti-me cheia e no dia a seguir vazia, esta dualidade de sentimentos abraçou-me todo o ano, percebi que perdi definitivamente a capacidade de escrever, escrevi, com este, 5 posts no blog, fui a Berlim, fui a Nova Iorque, fui a Palma de Maiorca, fui a Porto Santo e vou continuar a acreditar que o dinheiro mais bem gasto é em bilhetes de avião, chorei, ri, gritei, gargalhei, tentei estar para quem devia e sei que não o fiz bem feito, falhei com algumas pessoas e uma das resoluções que faço para 2020 é exactamente reparar erros e falha que cometi com amizades que quero ter para sempre na minha vida, desiludi-me, iludi-me, acreditei, desacreditei, passei um fim de semana com umas amigas que me fizeram ver que às vezes não vemos a vida de forma pratica como deveria ser, pensei muitas vezes se é a vida que é complicada ou se somos nós que complicamos, pisei o palco do Coliseu dos Recreios, do Salão Preto e Prata e do Teatro da Trindade com as pernas a tremer quando alguém me confiou o papel de apresentadora de um evento internacional, vi uma amiga especial casar e ali perante os meus olhos comprovei que a simplicidade é das coisas mais bonitas da vida e que há amores que saltam do peito, vi algumas das pessoas mais importantes da minha vida fazer 40 anos, tive uma irmã no alto dos meus 39 anos, percebi que há coisas que não se recuperam nunca, entendi que quando se diz que anda meio mundo a enganar outro meio, na verdade, estamos a enganar-nos a nós próprios, tornei-me  madrinha do F. com o coração a transbordar de orgulho, inscrevi-me no melhor ginásio de sempre e esta foi com toda a certeza a melhor decisão de 2019, vibrei, tive razões, certezas e incertezas, foi um ano de maior introspecção de estar mais na minha concha, mas resguardada e muitas vezes apenas esperar, esperar que a poeira baixe, vivi um dia de cada vez sem que nunca este fosse o meu lema, foi um ano duro, de auto conhecimento, a continuar a sonhar com os pés fora dos sapatos, e a terminar como terminei o ano passado, não interessa se estamos felizes ou tristes, os dias vão passando de qualquer das formas, por isso mais vale tentar sempre ser feliz.

FELIZ 2020!

♥️♥️♥️♥️

Sem comentários:

Publicar um comentário