30/12/2017

Em 2017...


... as notícias do mundo em geral tiraram-me várias vezes o fôlego e decidi várias vezes não querer saber do que ia acontecendo, vi a minha mãe perder a melhor amiga e desde então todos os dias penso nisso, vi Portugal ganhar a Eurovisão e vibrei de emoção, mudei de trabalho (passo a vida nisto mas tenho a certeza que qualquer dia a estabilidade me vai bater à porta), abracei o projecto mães.pt com imenso orgulho mas com menos disponibilidade do que desejaria, fiz promessas que não cumpri, vivi os primeiros divórcios de quem me está perto e custou-me, tive demasiadas vezes vontade de desistir do blog, deixei ir o que me fez menos bem, apurei dia após dia a capacidade de ser indiferente ao que não gosto e ao que não quero, enriqueci e cresci profissionalmente, apertei ainda com mais força alguns laços  de amizade, inscrevi-me no ginásio e embora não tenha ido tantas vezes como queria fui as suficientes para me conseguir apaixonar pela prática do Yoga, vivemos demasiadas birras e pensei várias vezes que ia ensandecer, fiz uma sessão fotográfica inesquecível com duas amigas que adoro, fui duas vezes à televisão partilhar duas das histórias mais importantes da minha vida, andei 12 vezes de avião, viajei muito e estive em sítios incríveis, li o resto do meio livro que tinha começado em 2016, o V. foi operado e ganhou qualidade de vida, revi num jantar de turma Colegas de faculdade que não vi-a desde 2005, foi um ano em que me senti particularmente cansada, a maternidade foi exigente e difícil, a proximidade de idades da M. e do V. fizeram-se sentir,  estive 12 dias fora sozinha com o A., senti uma necessidade extrema de organizar tudo o mais possível, houve momentos em que falhei como Mãe, mas houve outros em que dei tudo de mim, tive menos medos e receios e tornei-me mais autónoma e confiante, chorei pouco, sorri menos do que gostaria, gritei com eles, bati a porta e às vezes não quis saber, amei os meus filhos desenfreadamente, às vezes exagerei, até nos beijos e nos braços que para mim nunca são demais, dei muito mais importância a quem me dá importância, quis saber de quem quer saber de mim, fiz menos fretes, fui sempre fiel aos meus princípios, a operação de urgência do A. levou-nos uns dias em Dezembro para a "outra casa", dos vários jantares de Natal decidi apenas ir a um motivada pelas pessoas que lá iria encontrar e abraçar, não cumpri todos os planos, mas alcancei objectivos inesperados, constato mais uma vez que o amor é a base de tudo, para ano ímpar o balanço é até bastante positivo. 

Não gosto de fazer resoluções, mas para 2018 traço alguns planos e objectivos cheia de confiança de que os vou fazer acontecer.

Feliz 2018!

♥️♥️♥️♥️




Sem comentários:

Publicar um comentário