28/01/2015

Sobre ser Mãe pela segunda vez...#1

Lembro-me de há largos meses, ainda quando baby V. morava em mim, ter escrito aqui, o quanto tinha medo de não gostar tanto de baby V. como de baby M., foram palavras disparatadas mas que na altura resultaram da insegurança e mistura de sentimentos que estava a viver, o amor que se misturou com a culpa, a culpa por já existir baby M., por achar que estava a trai-la e por achar que teria que dividir o amor que sinto por ela. 

Estava errada, tão errada!

Nunca até então tinha sido mãe de outro filho, achava eu que seria diferente.

Estava errada, tão errada!

Achava-me calejada por ser Mãe de segunda viagem, achava que seria impossível sentir tudo outra vez.

Estava errada, tão errada!

Ser mãe pela segunda vez foi voltar à estaca zero mas com mais maturidade, mais consciência e sem medos, sabia ao que ia, sempre consciente de que cada bebé é um bebé e que ele não seria igual a ela, ainda assim pouco ou nada me seria desconhecido o que se traduziu numa isenção de medos e receios daquilo a que ia, sabia que o meu maior desafio seria aprender a desdobrar-me para conseguir dar atenção aos dois de forma igual, sabia que desta vez o coração estava mais apurado para sentir o meu instinto materno, tudo isto, sim, foi diferente.

Ainda assim há coisas que não foram diferentes, a ansiedade para o ver, o factor surpresa de como seria, a chapada de amor quando pela primeira vez o vi foi com a mesma força, emoção e entusiasmo tal como foi com baby M., como se a Natureza tivesse tido um cuidado de fazer um reset à minha primeira viagem como mãe para que tudo fosse igualmente mágico. E foi!

O amor não se dividiu, multiplicou-se, o amor não é diferente, apenas aumentou, nunca há calo suficiente para se viver esta emoção que se repete cada vez que nasce um filho. 

Sem comentários:

Publicar um comentário