26/03/2015

Para lerem quando crescerem* #6

Hoje confesso-vos… o quanto me tornaram vulnerável!

Uma Mãe vulnerável…

Vulnerável Fisicamente, este meu corpo de Mãe que anda com partes soltas dele por ai, o coração que bate fora do peito, os olhos descontrolados que não seguram as lágrimas quando o assunto são vocês, a cabeça que está onde vocês estão…

Vulnerável emocionalmente, sei que para ser forte tenho que ser frágil, que preciso de pedir ajuda, sou impaciente, assumo sem vergonha que a nossa casa é desarrumada, tenho coragem para assumir que não sei tudo, que há noites que durmo de consciência pesada, que erro muitas vezes, que falho… já deixei cair as defesas e assumo-me exactamente assim, vulnerável!

Nunca tentei fazer o percurso contrário, sou frágil quando tenho que ser, choro onde e quando tenho que chorar, assumo a tristeza quando assim me sinto.

Tenho medo, muito medo que essa fragilidade, choro ou tristeza fiquem cá para sempre, por isso, há que ser vulnerável.

Com a vulnerabilidade descobrimos a nossa autenticidade, porque…para se ser verdadeiro há que ser vulnerável.

Sempre sincera
Mãe

♡♡♡♡

 *para quando souberem ler

Sem comentários:

Publicar um comentário