07/03/2017

Ainda sobre o Pipi!

No seguimento deste post, recebi alguns emails e mensagens com o mais variadíssimo teor e conclui que há ainda muitas mulheres a sofrer de problemas no Pavimento Pélvico mas que por vergonha ou falta de conhecimento nada fazem.

Ainda no seguimento desse post conheci a Fisioterapeuta Catarina Cabrita especialista de fisioterapia na Saúde da Mulher, que acompanha uma amiga profissional de saúde que após dois partos difíceis recorreu aos seus cuidados e que me falou do quanto era competente e profissional e eu não hesitei em convida-lá para escrever este post com a finalidade de dar resposta e quem sabe ajuda, a quem me escreveu.

E a Fisioterapeuta Catarina Cabrita presentou-nos a todas com esta maravilhosa explicação que espero que seja útil e inspiradora:

A Fisioterapia Uro-ginecológica (ou Fisioterapia da Saúde da Mulher, ou Reabilitação Perineal) é uma área da fisioterapia que visa avaliar, prevenir e tratar disfunções que surjam no Pavimento Pélvico (PP) durante a vida da mulher.

Desde que comecei a trabalhar nesta área em concreto, quando me perguntam o que faço a reação é (quase) sempre: “O quê?! A fisioterapia faz isso?”, E de facto é uma área que tem vindo a crescer em Portugal mas que ainda tem muitos tabus e barreiras a quebrar para que as mulheres recorram a ajuda especializada quando se encontram com disfunções pélvicas.

Por exemplo, quando uma mulher sente uma perda de urina, seja ela muito ligeira ou enorme, a tendência é pensar para consigo: “É normal, estou grávida!”, “É normal, tive um bebé há tão pouco tempo…”, “É normal, já tenho idade para estas coisas…” Mas NÃO É NORMAL! Isto pode ocorrer porque o seu Pavimento Pélvico não está a funcionar em perfeitas condições.

Mas e então o que é isto do Pavimento Pélvico?

O Pavimento Pélvico ou Períneo é um grupo muscular localizado na região pélvica (desde o púbis até ao cóccix) de homens e de mulheres. Ele suporta o peso de todos os órgãos pélvicos e abdominais e mantém-nos no seu lugar quando o corpo é sujeito a aumento de pressão abdominal (por exemplo: tosse, espirro ou riso) ou a um grande impacto (como acontece durante um salto ou uma corrida). No caso das mulheres em específico, o Pavimento Pélvico tem outros desafios pela frente: a Gravidez (onde lhe é pedido que suporte também o peso do bebé, do útero, do líquido amniótico, da placenta) e o Parto Vaginal (em que ocorre um esforço enorme do períneo e onde pode ser necessária uma episiotomia – corte realizado no períneo para ampliar o canal vaginal). Imagine só a exigência pedida a um grupo muscular que se calhar a maioria das pessoas nem dá assim tanta importância!

No caso da mulher, podemos visualizar o Períneo como um “8”, sendo que o círculo de cima envolve a abertura da vagina e da uretra e o círculo de baixo envolve a abertura do ânus (ver imagem). É então um protagonista no que diz respeito ao controlo dos esfíncteres.




Pede-se a um períneo saudável que seja forte, resistente e que tenha elasticidade, no entanto, ao longo da vida – pela idade, exercício físico de alto impacto, falta de exercícios específicos, gravidez, parto – os músculos do períneo vão cedendo e a rede de suporte vai ficando cada vez mais fraca, e podem aparecer problemas de incontinência urinária e/ou fecal, prolapsos da bexiga ou do útero… É por isso muito importante tomar conta dele durante toda a vida!

As disfunções que podem afetar o Pavimento Pélvico podem ser:
  • Incontinência urinária (de esforço, urgência ou mista)
  • Disfunções Sexuais (dor/dispareunia, vaginismo, vulvodinia, disfunção orgásmica…)
  •  Prolapsos viscerais (“queda das vísceras: bexiga, útero ou reto”)
  • Disfunções Fecais
  • Pré e pós-cirúrgico (uro ginecológicas, prostatectomia, hemorroidectomia…)

Há muito a dizer sobre o Pavimento Pélvico, mas para resumir estas são as suas principais funções durante a nossa vida:
  • Suporta os órgãos da região pélvica e abdominal;
  • Suporta o peso do bebé durante a gravidez;
  • É responsável pelo encerramento dos esfíncteres da uretra e do ânus, prevenindo Incontinência Urinária e/ou fecal;
  • Suporta a bexiga, o ânus e a vagina, prevenindo prolapsos da bexiga ou do útero;
  • Para além disto, um períneo forte e saudável reduz os riscos de rutura muscular do mesmo durante o parto, torna a recuperação pós-parto mais rápida e melhora a qualidade da vida sexual.

É por estas razões e pelos desafios que o Períneo da mulher enfrenta ao longo de toda a sua vida que é tão importante treinarmos os músculos do pavimento pélvico, de forma correta, desde sempre e para sempre!

Se tiver alguma dúvida sobre prevenção ou tratamento de alguma disfunção do Pavimento Pélvico procure ajuda de um(a) Fisioterapeuta especializado(a) em Saúde da Mulher, ele(a) saberá como ajudá-la!

Fisioterapeuta Catarina Cabrita
Tel: 916348018

Muito Obrigada Catarina ♥️

♥️♥️♥️♥️

Sem comentários:

Publicar um comentário