18/12/2014

Entoação...

Cedo percebi que não gostava de números e ainda assim insisti neles até ao 12º ano, ao chegar lá decidi voltar tudo atrás e abraçar as palavras, gostei mais, mas ainda assim só há pouco tempo me cativaram e envolveram verdadeiramente.

Gosto de escrever o que me apetece, ainda que meio sem jeito e de forma desengonçada, gosto de ler o que me interessa, gosto de brincar com as palavras e por vezes brindar alguém com as mesmas de forma especial ou diferente, aquilo que chamo, à minha maneira e vontade.

Há dias que as palavras me assustam, me põem em sentido, me amedrontam até, não as palavras propriamente ditas mas a maneira como as leio, como as interpreto ou lhes dou sentido, o perigo da interpretação que lhes dou que as fazem ter um sentido completamente diferente do pretendido dar pelo remetente. 

Palavras soltas, um simples SMS, um email, um texto, um livro… que pela voz, vozes  e entoação que a nossa cabeça e espírito lhes dá as desvirtua e mal interpreta e compreende.

Sou tantas vezes apanhada pela má interpretação do remetente e do destinatário... sempre a entoação!

Sem comentários:

Publicar um comentário