08/10/2014

Presa...

às vezes ainda fico presa nos meses que já lá vão, tenho aos poucos tentado libertar-me da gravidez do V. mas não está fácil, ainda é assunto muito presente e apesar de bem resolvida não estou tão liberta quanto gostaria e quanto pensava que estava. 

Não que ande a martirizar-me com pensamentos constantes, mas percebo isso com coisas simples do dia a dia que me fazem pensar muito mais do que seria de esperar nas coisas que me aconteceram, talvez na altura não quisesse pensar e de vez em quando "caí-me a ficha".

Nunca fui revoltada com a situação, nunca perguntei porque eu, simplesmente aceitei o que a natureza me oferecia e assumi de imediato que tinha uma missão e que de tudo faria para a levar a bom porto. 

Agora que estou de volta ao mundo e às suas rotinas, vejo grávidas, muitas grávidas, olho para as que passam ao meu lado e dou por mim a virar a cabeça para trás para as continuar a seguir com o olhar até as deixar de ver e penso: que sorte, que inveja, que pena, que mágoa não ter passeado e exibido a barriga de baby V.

Isto passa...

logo quando chegar a casa e olhar para ele.

Sem comentários:

Publicar um comentário