17/11/2014

Dos dias que não deviam existir...

Há dias maus…

semanas que começam mal…

cheguei atrasada ao trabalho, pensava que tinha perdido as chaves de casa, depois de revolver a casa toda lá as encontrei dentro do bolso de um casaco, tão simples, mas a casa está virada do avesso à minha espera,

cheguei à porta do edifício percebi que não sabia do cartão de acesso, até agora ainda não percebi se realmente o perdi ou se também está num sitio simples mesmo em frente aos meus olhos.

Abro o Facebook e vejo a noticia do Afonso, ontem já me tinha sido suficiente a noticia da Margarida.

Estou sem ar, tenho um aperto que acho que só desata com um grito, um grito de raiva, de revolta, entrelaçado em porquês? Porquês? Porquês? porquês? O esforço para as lágrimas não me saltarem dos olhos é imenso, não me sai da cabeça as palavras que li escritas pela mãe Vanessa sobre o Afonso: partiu envolto no abraço da sua mãe, não me sai da cabeça a fotografia da Genny com a Margarida ao colo, sou fraca caramba...

Parece que afinal a minha semana não está a começar nada mal, parece que todos os percalços matinais têm solução e estas mães? 

Sem comentários:

Publicar um comentário